Nossa dica - Filme O Capital

O capital é um filme francês que mostra os bastidores de mega-corporações financeiras. Nesse filme intrigante de suspense e drama vale tudo pelo poder, mostra como o capitalismo selvagem cria distorções sociais impactantes em nome do  acumulo de poder e dinheiro.

Esse tipo de filme não é para qualquer um, você não vai ver troca de tiros e nem piadas bobas. É um filme que provoca reflexão, e pode fazer você pensar por dias, como o sistema é injusto, como muitos sofrem só para o acionista aumentar mais alguns dígitos em sua conta sem levar em consideração o outro.

Enfim, se você quer saber como funciona o sistema financeiro não deixe de assistir a esse filme. Veja o trailer abaixo:


Reflexão sobre o Mito da Caverna


Essa imagem representa o Mito da Caverna de Platão em sua grande obra "A República" de mais de 2000 anos atrás. Serviu de inspiração para muitos filmes mas o mais famoso de todos sem dúvida nenhuma é Matrix.

De forma resumida, O Mito conta que vivia em uma caverna escura, homens presos a grilhões, de forma que não podiam virar se para trás. Esses homens eram entretidos por sobras na parede a sua frente, manipulada por outros que também estavam presos, só que com um pouco mais de liberdade.

E alguns deles achavam que aquilo era tudo que existia. Mas tinha um chato que berrava "isso tudo é uma ilusão" "há mais lá fora". E então aquele que berrava aos 4 cantos consegue libertá-se e fica maravilhado com tudo que vê.

O liberto resolve resgatar seus irmãos, só que esses o rechaça, dizendo que ele era louco.
E ele foi embora, prometendo que um dia iria voltar.

Isso também aconteceu com Cristo e até hoje os prisioneiros defendem a própria prisão e chamam os visionários de loucos.

Caso queira se aprofundar nos conhecimentos filosóficos conheça o Canal Nova Acrópole, fizemos um post sobre o canal aqui.

Revelações sobre a Data Limite - Exu Destranca Rua das Almas

Esse é o trecho de um hangout de 2016 do Canal Florescer da Consciência - Japan, no qual diversas
pessoas participaram junto com o médium
Edson Rosa, canalizando o espírito da linha dos
Exus, na emanação do Destranca Rua das Almas.

O assunto abordado foi Transição Planetária
e Data Limite.

Caso queira assistir ao vídeo completo acesse no link abaixo:
https://www.youtube.com/watch?v=tiDWZ...

Se quiser apoiar esse trabalho
adquira uma de nossas camisetas:
https://www.conscienciaslivres.com.br/

Junte-se a nós nas redes sociais:

Blog:
blog.conscienciaslivres.com.br

Twitter:
 twitter.com/ConscienciasL

Facebook:
www.facebook.com/conscienciaslivres

Instagram:
www.instagram.com/conscienciaslivres


Formação de ciclone tropical na costa brasileira a partir de sábado faz Marinha emitir alerta

Fenômeno poderá ocorrer no Oceano Atlântico a partir deste sábado (23) até a terça-feira (26). Ele deve afetar o alto-mar ao leste dos estados da Bahia e do Espírito Santo.

A Marinha do Brasil divulgou uma nota nesta quinta-feira (21) para alertar sobre a formação de um ciclone tropical na costa do país. O fenômeno poderá ocorrer entre este sábado (23) e a terça-feira (26), sobre o Oceano Atlântico, principalmente no alto-mar ao leste dos estados da Bahia e do Espírito Santo.

A previsão foi feita pelo Centro de Hidrografia Marinha (CHM) em parceria com o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC/Inpe). O órgão explica que o sistema ocorrerá principalmente no oceano, associado a uma chuva intensa, "com volumes significativos e ventos intensos, com rajadas", podendo chegar a até 89 km/h.

Não está descartada a possibilidade de que os ventos atinjam também a costa do Rio de Janeiro, além da Bahia e do Espírito Santo. A Marinha e o Inpe acompanharão toda a formação do sistema nos próximos dias, com informações pelas redes sociais. O alerta vale principalmente para quem pretende se alçar ao alto-mar no final de semana - é importante consulta o cenário antes de sair.

Fonte: G1

Como a Índia revolucionou a matemática ao inventar o numero zero

Muitos hoje em dia desprezam ou desconhecem a sabedoria dos povos orientais. Deveria de ser de conhecimento geral que muito do que é usado hoje por nós ocidentais surgiu graças ao conhecimento e sabedoria milenar do oriente.

Por exemplo a medicina o papel os números arábicos incluindo o zero. O zero foi tão revolucionário que tornou possível novas ciências como a física a engenharia à computação etc…

Em 628, um astrônomo matemático hindu chamado Brahmagupta após meditação desenvolveu um símbolo para o zero, que era um ponto embaixo dos números. Ele também desenvolveu operações matemáticas usando zero, escreveu regras para chegar a zero através da adição e subtração, e os resultados do uso de zero em equações. Esta foi à primeira vez no mundo que o zero foi reconhecido como um número de conta própria, tanto como uma ideia quanto como um símbolo.

O mais antigo exemplo do zero escrito como um dígito pode
 ser encontrado em um templo dentro do Forte Gwalior, na Índia
O Templo Chaturbhuj é como muitos outros templos antigos na Índia - exceto pelo fato de que aqui é o marco zero do zero. Ele é famoso por conter o mais antigo zero como um dígito escrito: está gravado na parede de um templo uma inscrição do século 9 com o número "270" claramente visível.

Mas o que há de especial na cultura indiana para dar origem a essa criação tão importante para a Índia - e para o mundo moderno?


Nada de nada
Eu me lembro de um TEDTalk do renomado mitólogo indiano Devdutt Pattanaik, no qual ele conta a história sobre a visita de Alexandre, o Grande, à Índia. O conquistador aparentemente conheceu alguém a quem chamou de "gimnosofista" - um homem sábio, que estava nu, possivelmente um iogue - sentado em uma pedra olhando para o céu.

Perguntou a ele: "O que você está fazendo?"

"Eu estou vivenciando o nada. O que você está fazendo?", respondeu o gimnosofista.

"Eu estou conquistando o mundo", disse Alexandre.

Ambos riram. Cada um achou que o outro era um bobo e que estava desperdiçando sua vida.

Essa história aconteceu muito antes de o zero ser gravado no templo de Gwalior, mas o gimnosofista meditando sobre o nada de fato tem uma conexão com a invenção do dígito. Indianos, diferentemente de pessoas de muitas outras culturas, já eram abertos filosoficamente ao conceito de nada.
Sistemas como a ioga eram desenvolvidos para encorajar a meditação e o esvaziamento da mente, e as religiões budista e hindu abraçam o conceito do nada como parte de seus ensinamentos.

Peter Gobets, secretário da fundação holandesa ZerOrgIndia, também chamada de Projeto Zero, que pesquisa as origens do dígito zero, aponta em um artigo sobre a invenção do zero que "o zero matemático ("shunya" em sânscrito) pode ter surgido da filosofia contemporânea de vazio ou Shunyata (uma doutrina budista sobre esvaziar a mente de impressões e pensamentos)".

leia mais em: BBC

Físico brasileiro Marcelo Gleiser vence prêmio Templeton, o "Nobel da espiritualidade"

O físico Marcelo Gleiser, de 60 anos, foi anunciado nesta terça-feira, dia 19, o vencedor do prêmio Templeton, honraria que já foi concedida a Madre Teresa de Calcutá (em 1973) e Dalai Lama (em 2012). O prêmio, uma "espécie de Nobel da espirituralidade", como define o vencedor, é entregue a profissionais que tenham feito "uma contribuição excepcional para afirmar a dimensão espiritual da vida, seja por insights, descoberta ou trabalhos práticos", segundo a Fundação Templeton.

Sobre o Templeton, ele explica, não se trata de um prêmio de religião.

— Quando se fala em religião, pensamos em algo institucionalizado, como cristianismo, islamismo e budismo, por exemplo. Espiritualidade é um termo muito mais amplo que tem a ver com a nossa relação com o mistério da existência e que transcende questões como: "Em que Deus você acredita?" ou "Que igreja você frequenta?". Por espiritualidade, entendemos a relação do ser humano com o mistério da existência — disse Gleiser ao GLOBO por telefone, de Hanover.

O físico conta que, na comunidade científica, há "ateus ferrenhos, que acham espiritualidade e religião uma perda de tempo" e também cientistas que são "religiosos ortodoxos, cristãos, muçulmanos, judeus, budistas, pessoas que acreditam quanto mais entendem a natureza mais entendem a criação divina".

— No meu trabalho como cientista, minha pesquisa é muito mais ligada a questões fundamentais sobre a origem do universo, a origem da vida, do que sobre como criar um microchip melhor para fazer um iPhone funcionar mais rápido, por exemplo. Minhas questões são mais existenciais — explica Gleiser. — O grande ponto é que hoje em dia é possível trabalhar em ciência e em questões que tenham uma natureza filosófica, sobre o significado da vida, da nossa relação com a natureza. É nessa parte que eu me encaixo.
(Fonte: G1)

Revelações sobre a Transição Planetária - Exu Veludo do Oriente

Trecho da entrevista com o Exu Veludo do Oriente, vídeo 806 do canal Diálogo com os Espíritos, pela mediunidade de Alex de Almeida, entrevistador Jefferson Viscardi. Ele faz fortes revelações sobre a Transição Planetária e o final do ciclo.



Se quiser assistir ao vídeo completo aqui está o Link 

Revelações sobre a Transição Planetária Preto Velho Pai Joaquim

Trecho da entrevista com o Preto Velho Pai Joaquim da Angola, vídeo 04 do canal Diálogo com os Espíritos, pela mediunidade de Fernando Parada, entrevistador Jefferson Viscardi. Revelações sobre a Transição Planetária sobre o final do ciclo.


As profecias de Parravicini o Nostradamus Argentino - Concretizadas

Esse vídeo aborda um dos maiores profetas de todos os tempos o argentino Benjamin Solari Parravicini, suas profecias impressionam não só pela precisão mas por seus desenhos misteriosos. Essa primeira parte mostra algumas profecias que se concretizaram, posteriormente irei fazer um outro vídeo mostrando algumas profecias que ainda estão por acontecer.

Se quiser apoiar esse trabalho visite nossa loja virtual:
http://www.conscienciaslivres.com/

Se quiser conhecer um pouco mais sobre as previsões de Parravicini visite o blog abaixo:
http://profeciasoapiceem2036.blogspot...

Junte-se a nós nas redes sociais
e não deixe de visitar nosso blog:

Blog:
blog.conscienciaslivres.com.br

Twitter:
 twitter.com/ConscienciasL

Facebook:
www.facebook.com/conscienciaslivres

Instagram:
www.instagram.com/conscienciaslivres

A dama de vermelho - Matrix

Umas das cenas mais icônicas do filme Matrix sem dúvida é a cena em que aparece a bela dama de vermelho. Ficou claro de que a dama de vermelho representa uma distração, mas podemos ir mais fundo na analise.

Façamos um breve resumo sobre o filme, e sua mensagem para contextualizar melhor o simbolismo por trás da cena. Matrix é um filme que usa muitas referências religiosas e símbolos esotéricos, o filme é uma analogia do Mito da Caverna de Platão, você pode conhecer um pouco sobre Platão neste post.

No mito da caverna existe homens presos, entretido por sombras criada por outros homens que tinham um pouco mais de liberdade em uma caverna. E esses homens achavam que aquilo que viam era tudo, porém um homem percebeu que era enganado, e conseguiu se libertar, e esse homem liberto volta para buscar os outros, só que esses outros, não acreditam nele e continuam inertes com seu entretenimento de sombras.

Pois bem, no filme Matrix acontece de forma parecida, as maquinas prendem os humanos em uma ilusão virtual, criada para aprisionar as consciências humanas, enquanto as maquinas alimentam-se da energia gerada pelos seus corpos no mundo real, aprisionado em casulos.

Morpheus, na mitologia grega é um mensageiro dos deuses que entra nos sonhos dos humanos para fazer alertas e compartilhar conhecimentos que ajudam os humanos a evoluir espiritualmente. Na cena em questão, Morpheus falava do perigo que representa os agentes da matrix, e de como eles poderiam assumir a forma de qualquer pessoa na simulação para perseguir os libertos, quando aparece a distração, a mulher de vermelho, Neo se deixa levar pelo engano, Morpheus chama a sua atenção, quando Neo se vira tem um agente apontando uma arma para sua cabeça.

Matrix é uma obra de inspiração gnóstica, os gnósticos acreditam no Demiurgo, um ser que criou um falso mundo para aprisionar os humanos, os agentes representam os seres arcontes que tem o papel de manter a ilusão.

A mulher de vermelho representa todo tipo de distração, tudo que te tira do caminho da verdade, Cristo foi tentado no deserto, Sidarta Gautama o Buda passou pelas mesmas tentações, tudo que esta Terra oferece é ilusão, uma ilusão para você reconectar-se com a verdade. Até os arcontes servem à um propósito maior, eles fazem o papel do mal, para você descobrir aquilo que você não é. Como você saberia o que é o mal, se você não passar pela experiência do mal?

A mecânica quântica através do experimento da fenda dupla, mostrou que aquele que observa é capaz de afetar as partículas atômicas. Tenha em mente que tudo que é físico é feito de átomos e que o observador ou seja a consciência, molda essa realidade, pois pode alterar a matéria em sua essência.

Então nós criamos esta realidade através de um consenso coletivo e doamos a nossa energia vital para manter essa mesma realidade. Vivemos em um loop-reencarnatório, presos na roda de samsara, retroalimentando este sistema, e alguém está alimentando-se desta energia em outros níveis existenciais, gerada por nós mesmos com nossos pensamentos sentimentos e ações. As distrações são a forma de fazer com que continuemos presos a esse sistema, afastados da evolução espiritual, que irá nos libertar da matriz criada por nós mesmos. A melhor forma de livrar-se desta matrix é buscar o conhecimento, e tonar-se cada vez mais consciente, deixando o espírito tomar cada vez mais o lugar do ego.

Junte-se a nós nas redes sociais:

Twitter:
 twitter.com/ConscienciasL

Facebook:
www.facebook.com/conscienciaslivres

Instagram:
www.instagram.com/conscienciaslivres

Youtube:
https://www.youtube.com/conscienciaslivres

Índios Hopi afirmam que seus antepassados surgiram do submundo

A sabedoria do povo nativo pele vermelha norte americano afirma que o Grand Canyon foi formado como resultado de um Grande Dilúvio, que secou o terceiro mundo anterior e que já esquecemos o caminho da divindade. Uma cosmologia Hopi especifica que aqui estava no lugar de onde os Hopi emergiram de seu refúgio subterrâneo depois que o dilúvio destruiu o terceiro mundo.

Os índios Hopi afirmam que seus antepassados não chegaram do norte, nem de barco, mas, em vez disso, subiram à superfície desde o submundo nos subterrâneos da Terra. O lugar específico do surgimento da lenda Hopi está no fundo do Grand Canyon, uma abertura encantada dos misteriosos recessos da Terra Interior.

Quase uma milha abaixo do solo, a cerca de 490 metros abaixo da superfície, 
a longa passagem principal foi cavada para encontrar outra câmara gigantesca 
da qual irradia dezenas de passagens, como os raios de uma roda.
Várias centenas de quartos foram descobertos, alcançados por corredores que vão
 da passagem principal, um deles tendo sido explorado por 
285 metros e outros 215 metros. Os achados recentes incluem artigos, 
que nunca foram conhecidos como nativos deste país e que,
 sem dúvida, eles tiveram sua origem no Oriente


Vários pontos de entrada para o mundo interior são ditos estar em suas terras no Grand Canyon, um dos quais é homenageado em cerimônia como uma habitação de uma antiga raça pai. Um local sagrado, é estritamente limitado o acesso à todos, exceto para o povo Hopi. A tradição afirma ainda que os Hopi foram assistidos por “pessoas parecidas com insetos (formigas)” que viviam no mundo interior de grandes cavernas, seres humanoides pálidos com membros finos e magros e costas ligeiramente arqueadas.


Uma tumba ou cripta em que múmias foram
encontradas é uma das maiores das câmaras,
as paredes inclinadas em um ângulo de cerca
 de 35 graus. Uma delas é camadas de múmias,
 cada uma ocupando uma prateleira separada.
A cabeça de cada uma repousa em um
 pequeno banco, no qual são
 encontrados copos de cobre
 e pedaços de espadas quebradas”.
O Instituto Smithsonian pode ter descoberto artefatos dentro de uma caverna maciça com diversas passagens e salas intrincadas, incluindo a descoberta de tabletes incritos com hieróglifos egipcios. Um artigo publicado no The Arizona Gazette em 5 de abril de 1909, declara que o Grand Canyon já era lar de uma civilização perdida, composta por pessoas de proporções gigantescas.

Também menciona a descoberta de uma enorme cidadela subterrânea por um explorador chamado G.E. Kinkaid, que veio descobri-la durante uma viagem de barco pelo rio Colorado. A entrada para a cidade estava no final de um túnel que supostamente se estendia por quase uma milha adntro. Poderia ainda haver civilizações que existem vivendo profundamente sob a terra? Em caso afirmativo, onde estão as entradas para esses mundos internos, e quais raças os habitaram ou habitam?


Robert Sepehr é um autor, produtor e antropólogo especializado em lingüística, arqueologia e paleobiologia. Crítico áspera da teoria fora da África, Sepehr apresenta argumentos difusionistas alternativos que muitas vezes envolvem civilizações antediluvianas avançadas, sociedades secretas ocultas, mitologia antiga, alquimia e astroteologia.


Fonte: https://thoth3126.com.br/

Popular Posts